Lagoa da Prata / MG - segunda-feira, 20 de novembro de 2017

ASMA OU BRONQUITE

1 - O que é a asma ou “bronquite”?
 A asma é uma doença respiratória crônica, bastante comum, que acomete pessoas de todas as idades, porém principalmente crianças e adolescentes. É caracterizada por episódios recorrentes de chieira no peito, tosse seca ou com catarro, falta de ar e cansaço. Ocorre como conseqüência de uma inflamação dos brônquios (estruturas responsáveis por conduzir o ar através dos pulmões até os alvéolos). É também conhecida como "bronquite" ou "bronquite asmática".
 2 - Qual é a causa da asma?
 A asma surge como conseqüência da interação entre diversos fatores, destacando-se:

- O fator
hereditário (indivíduos com familiares asmáticos têm maior chance de apresentar a doença).

- O fator alérgico (os
brônquios dos asmáticos são mais sensíveis aos agentes externos, podendo-se dizer que a asma é uma doença alérgica).

- Os fatores ambientais (poluição, cigarro, ácaro,mofo, alimentos, clima, exposição a animais...).
 3 - A asma é contagiosa?
 Não, a asma não é uma doença contagiosa. O contato com pacientes asmáticos não faz com que o indivíduo "pegue" a doença.
 4 - O que acontece no pulmão de pacientes com asma?
 A principal alteração encontrada nos pulmões de pacientes com asma é a inflamação dos brônquios.

Essa
inflamação ocorre em função dos indivíduos asmáticos apresentarem caracteristicamente uma sensibilidade aumentada dos brônquios (hiperreatividade), de tal forma que a exposição dos mesmos à agentes diversos (poeira, ácaro, mofo, cigarro, etc) ou à determinadas situações (esforço físico, mudança brusca de temperatura, emoções) faz com que a inflamação brônquica se desenvolva.

Como conseqüência dessa
inflamação, surgem as seguintes alterações nos brônquios:

-
edema (inchaço) da parede brônquica, gerando redução do calibre dos brônquios, que por sua vez provoca chieira no peito, dificuldade respiratória (falta de ar) e tosse.

- produção aumentada de
muco pelas glândulas locais, expressando-se por tosse com catarro.

- Contração exagerada dos músculos que envolvem os
brônquios (broncoespasmo), desencadeando chieira no peito, falta de ar e tosse.
Brônquio normal ou dilatadoBrônquio contraído devido à inflamação
A inflamação varia ainda em sua intensidade e determina o quadro do paciente, ou seja, pacientes com pouca inflamação têm poucos sintomas, pacientes com muita inflamação têm mais sintomas.

Importante salientar que as modificações provocadas pela
asma nos pulmões dos pacientes podem ser reversíveis com o tratamento ou, até mesmo, espontaneamente nas formas mais leves da doença.
 5 - A asma é uma alergia?
 
Sim, a asma pode ser considerada uma doença alérgica. Embora, em alguns pacientes esse componente de alergia seja menos importante do que em outros.
 6 - Como ocorre a reação alérgica na asma?
 
Na asma, como em qualquer outra alergia, há uma resposta exagerada do sistema imunológico ( de defesa) frente à determinados agentes externos que vão ser aqui chamados de antígenos (poeira, mofo, pólen, ácaro...), de tal forma que essas reações imunológicas passam a trazer conseqüências desagradáveis ao paciente. Assim, por exemplo, quando o paciente asmático é exposto ao mofo (fungos) o organismo produz uma reação para neutralizar esse agente estranho que, no entanto, acaba produzindo a inflamação dos brônquios.

Desta forma, no tratamento da
asma é fundamental tentar impedir ou reduzir o contato do asmático com as substâncias capazes de desencadear tais reações.
 7 - Quais são os sintomas de asma?
 Os sintomas da asma são:a- Tosse.
b- Chieira.
c- Falta de ar.
d- Cansaço.
e- Aperto no peito.Esses sintomas geralmente iniciam-se na infância e adolescência, embora haja doentes em que o inicio ocorra na fase adulta ou até mesmo na terceira idade. Um grande número de pacientes apresenta remissão dos sintomas após a puberdade, podendo os sintomas retornarem após um longo período de ausência.

Os sintomas podem ser contínuos ou, o que é mais comum, intermitentes, ou seja, o paciente fora do período de crise não sente nada. Os sintomas, quando presentes, são mais acentuados durante a noite ou ao acordar.
 8 - O que são fatores desencadeantes da asma?
 Os fatores desencadeantes são determinados agentes ou situações capazes de provocarem o início dos sintomas da asma ou a piora dos mesmos no indivíduo asmático.

Geralmente, o paciente é capaz de identificar tais fatores, que variam de acordo com o indivíduo. Entre os mais comuns tem-se: as infecções respiratórias (gripes, resfriados, pneumonias), as mudanças bruscas de temperatura, a atividade física intensa e a exposição a odores fortes, poeira, mofo ou fumaça de cigarro.

O reconhecimento desses fatores é fundamental no tratamento e controle da
asma.

É importante salientar que tais fatores são mais importantes nos pacientes que não estão com sua
asma adequadamente tratada e controlada.
 9 - O cigarro é prejudicial para os pacientes com asma?
 O cigarro é muito maléfico para os pacientes com asma, pois pode iniciar sintomas no paciente que estava assintomático ou aumentar a intensidade dos sintomas em indivíduos já sintomáticos e tornar a doença mais difícil de ser controlada.

Além disso, parece haver uma relação entre o tabagismo e o surgimento da doença. Indivíduos que têm o hábito de fumar ou que são fumantes passivos (inalam a fumaça do cigarro de outra pessoa) são mais propensos a desenvolverem
asma. Isso é mais importante em crianças cujos os pais são fumantes, inclusive os filhos de mães que fumaram durante a gestação têm maior chance de terem asma.

Além disso, os asmáticos que fumam têm maiores chances de desenvolverem Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (vide
DPOC).
 10 - Qual a importância da poeira domiciliar na asma?
 A poeira domiciliar é um dos principais fatores desencadeantes de sintomas nos asmáticos. A exposição freqüente à mesma dificulta o controle adequado da doença. Isso ocorre em função da poeira apresentar em sua constituição diversos agentes que têm potencial de provocar alergia (alérgenos ou antígenos) e em função dela estar presente no ambiente em que o paciente passa grande parte do dia.

Os principais componentes da poeira domiciliar são: ácaros,
fungos, restos de insetos (baratas, moscas, mosquitos, pernilongo), pêlo de animais (cães, gatos, ratos, coelhos) e pólen.

Uma das orientações para o asmático deve ser a redução da poeira domiciliar e o contato com ela. Veja mais detalhes em "viver melhor com a
asma".
 11 - O que é ácaro e qual o seu papel na asma?
 O ácaro, cujo nome científico é Dermatophagoides, é um minúsculo inseto (mede cerca de 0,3mm de comprimento) encontrado na poeira dos domicílios, principalmente, nos locais úmidos e escuros, e que se alimenta de escamas de pele humana.

Um grande número de pacientes com
asma apresentam alergia aos ácaros, o que torna esses germes peça importante no controle da doença. O maior contato do indivíduo com o ácaro ocorre durante a noite no quarto de dormir. Os germes se acumulam no travesseiro, na cama (uma cama pode conter cerca de dois milhões de ácaros), no cobertor, na cortina, no carpete e em qualquer lugar que acumule poeira. Assim, a redução da população de ácaros deve ser considerada no tratamento de pacientes com asma. Veja mais detalhes em "viver melhor com a asma".
 13 - Existe asma relacionada com certos tipos de alimentos?
 Embora  seja muito rara há asma provocada por alimentos. Geralmente, a alergia alimentar se manifesta por sintomas cutâneos (dermatites) e gastrintestinais, porém, um pequeno número de doentes podem ter sintomas de asma.

Os alimentos responsáveis pelos sintomas são variados de acordo com o hábito alimentar e a idade do indivíduo. Na criança é mais comum a alergia por leite de vaca, clara de ovo e chocolate, enquanto no adulto é mais comum ser provocada por peixes e crustáceos.

É importante destacar que o indivíduo que tem
asma desencadeada por alimentos frequentemente apresenta sintomas gastrintestinais associados, principalmente cólicas abodminais e diarréia.

É também importante salientar que esse tipo de situação é rara e, salvo por ordem médica, o paciente asmático, que não tem alergia comprovada, não deve fazer qualquer restrição alimentar.
 14 - Qual o papel da poluição sobre o paciente asmático?
 Devido a presença da inflamação brônquica os pacientes asmáticos são mais sensíveis aos poluentes inalados, podendo haver piora dos sintomas, e até mesmo desencadeamento de crises. Os poluentes gerados pelos veículos a motor, aquecedores a querosene, fogões a lenha e por industrias são os mais prejudiciais.


Desta forma, o paciente deve tentar se afastar das áreas mais poluídas, principalmente quando estiver praticando atividade física e quando a temperatura e umidade do ar estiverem elevadas. Veja mais detalhes em "viver melhor com a
asma".
- Qual a influência do clima sobre os pacientes asmáticos?
 As variações de temperatura são consideradas como fatores desencadeantes da asma, ou seja, podem iniciar ou piorar os sintomas do paciente. Isso é mais importante, principalmente, quando ocorre exposição brusca ou prolongada à temperatura mais fria.

Assim evitar essas situações é importante no controle da doença. Veja mais detalhes em "viver melhor com a
asma".
 16 - Qual o papel das infecções sobre os pacientes asmáticos?
 As infecções respiratórias (gripes e resfriados) são importantes fatores precipitantes da asma, ou seja, podem iniciar ou piorar os sintomas dos pacientes. Muitos indivíduos só apresentam sintomas da doença quando estão gripados ou resfriados.

Desta forma, a prevenção da ocorrência dessas infecções faz parte do tratamento da
asma. Veja mais detalhes em "tratamento da asma".
18 - O que é refluxo gastroesofágico e qual sua relação com a asma?
 O refluxo gastroesofágico (RGE) é uma doença do aparelho digestivo que se caracteriza por azia, queimação no peito e regurgitação do alimento, e é resultado do retorno do conteúdo do estômago para o esôfago.

Em alguns pacientes asmáticos o RGE pode ser um fator desencadeante ou agravante da
asma, assim, o seu reconhecimento e tratamento adequado é importante no controle da doença.
 19 - Por que é freqüente o paciente asmático ter rinite?
 A rinite está associada com freqüência à asma, isso ocorre porque ambas têm como um dos principais fatores causais a alergia. Elas são chamadas, juntamente com a dermatite, de doenças atópicas ou alérgicas.

Cerca de 80% dos asmáticos têm rinite e 50% dos pacientes com rinite têm
asma.

Para muitos médicos a
asma e a rinite são uma única doença acometendo diferentes partes do trato respiratório.

O tratamento adequado da rinite é importante para o controle da
asma.
21 - A atividade física é prejudicial para o paciente asmático?
 Não. Porém, o exercício físico é um dos mais freqüentes fatores desencadeantes de sintomas no paciente asmático. Em alguns indivíduos, isso é tão característico que a asma nesses casos é chamada de asma induzida por exercícios.

Isso não significa que o indivíduo deva deixar de realizar atividades físicas, e sim que a doença não está sob controle.

Na verdade, o bom condicionamento físico é benéfico para o asmático, assim como o é para qualquer pessoa que deseje ter uma vida saudável. O paciente que realiza atividade física regularmente tem uma melhor qualidade de vida. A natação é excelente
 22 - O que é uma crise de asma?
 A crise asmática é uma situação clínica em que o indivíduo apresenta início ou piora significativa dos sintomas da doença (aumento da falta de ar, da tosse e da chieira), de tal forma que há necessidade do uso freqüente das medicações broncodilatadoras.

As crises geralmente são provocadas por algum fator desencadeante, como gripes, resfriados, mudança climática, exposição a produtos químicos (tintas, solventes, produtos de limpeza, perfumes), interrupção do tratamento da
asma, alergia, entre outros.

A gravidade da crise pode variar desde um quadro leve até um quadro de franca insuficiência respiratória, com necessidade de internação em UTI. O tempo de evolução também é variável, podendo atingir seu ápice em alguns minutos ou em alguns dias.

É sempre importante entrar em contato com o médico, afim de tomar as medidas necessárias para o controle da crise ou seguir um plano de controle da crise elaborado pelo mesmo.
 23 - Como reconhecer uma crise asmática grave?
 O paciente que apresenta piora ou início súbito dos sintomas da asma e associadamente alguma das manifestações abaixo, pode estar tendo uma crise asmática grave:

- os sintomas não melhoram com o uso da medicação de resgate (
nebulização ou bombinhas de broncodilatador).

- Está com muita falta de ar, tossindo e sentido-se asfixiado.

- A respiração está rápida e muito difícil.

- Está com dificuldade para caminhar e até para falar.

- O sono está bastante prejudicado pela crise.

O paciente, nessa situação, deve manter o uso da sua medicação de resgate e procurar imediatamente um serviço de urgência médica.
 24 - Quando e como são realizados os testes para detectar alergias?
 A pesquisa de possíveis fatores alérgicos para os sintomas da asma ocorre, principalmente, através da história clínica, identificando os indivíduos com maior potencial para apresentar esse perfil alérgico da doença.

A identificação desses pacientes permite ao médico associar ao tratamento farmacológico medidas mais rigorosas de controle ambiental, e em alguns poucos casos realizar os testes para alergia.

Os testes mais empregados são os testes cutâneos, em que é injetado na pele do paciente pequena quantidade da substância suspeita de ser a causa da alergia. Após a injeção, de acordo com a reação cutânea local é possível dizer se há alergia ou não à substância injetada. Também, existem testes sangüíneos, como a dosagem de IGE e o RAST, que têm indicações semelhantes às dos testes cutâneos.
 

25 - Há cura para a asma?

 

Não se pode afirmar que exista cura para a asma. Porém, com o uso correto de medicamentos, a doença pode ser controlada, de tal forma que o paciente fique completamente sem sintomas e tenha uma vida normal.

Também pode ocorrer de indivíduos terem sintomas de
asma durante uma fase da vida (exemplo: infância) e posteriormente, com o tratamento ou até mesmo espontaneamente, os sintomas da doença não mais se manifestarem ou retornarem somente após um longo período de tempo, por exemplo na vida adulta.

 

26 - Quais os pontos fundamentais no tratamento da asma?

 

No tratamento da asma dois pontos são fundamentais:

a- afastar o indivíduo dos fatores desencadeantes da doença (poeira, mofo, ácaro, cigarro...), pois, assim, estamos evitando que ocorra a resposta alérgica à esses fatores, gerando as alterações encontradas nos pulmões dos asmáticos.

b- tratar o processo inflamatório dos
brônquios, que é a principal alteração provocada pela asma.

 

27 - Quais são os dois principais grupos de medicações utilizadas no tratamento da asma?

 

No tratamento da asma há dois tipos de medicações utilizadas:

· medicação de manutenção ou de prevenção.

· medicação de alívio ou resgate.

A medicação de manutenção é aquela responsável por tratar a
inflamação dos brônquios. Se caracteriza por apresentar poder antiinflamatório. Esse tipo de medicação vai promover uma redução progressiva dos sintomas e prevenir a ocorrência de crises. Para tal, é necessário que seu uso seja prolongado e algumas vezes até contínuo, independentemente da presença de sintomas.

A medicação de resgate é aquela utilizada para promover alívio imediato dos sintomas, porém, sem tratar a alteração básica da
asma, que é a inflamação brônquica. São remédios com capacidade de dilatar os brônquios (broncodilatadores). O seu uso é feito de acordo com a necessidade, ou seja, se há ou não sintomas. A duração da sua ação broncodilatadora varia de 6 a 12 horas.

 

28 - O que é necessário para que se tenha um bom resultado no tratamento da asma?

 

Para que se tenha um bom resultado com o tratamento contra asma é necessário que:

- o paciente reconheça e evite os fatores desencadeantes da
asma ( ver detalhes em "Viver melhor com a asma").
- use a medicação de manutenção de maneira correta e regular.
- reconheça os sinais que indicam a gravidade de uma crise e tome as medidas necessárias para seu controle.
- procure atendimento médico de rotina.

 

29 - O que são corticóides?

 

Os corticóides, também conhecidos como cortisona, são substâncias de origem hormonal com grande poder antiinflamatório. São utilizados no tratamento de inúmeras doenças.

Na
asma o corticóide é utilizado no tratamento, constituindo-se no remédio mais eficaz do grupo das medicações de manutenção ou prevenção.

A cortisona pode ser administrada das seguintes formas:

-
via oral.
- via intravenosa ou intramuscular.
- via inalatória.

 

30- O que é corticóide inalado?

 

O corticóide inalado é a medicação de manutenção mais importante no tratamento da asma e se caracteriza por utilizar como via de administração a via inalada ou inalatória. Nessa forma o remédio é lançado diretamente nas vias respiratórias do indivíduo, durante a inspiração, atingindo mais facilmente os brônquios.

A vantagem de se utilizar essa via é que se requer pouca quantidade de medicação para exercer o efeito terapêutico desejado, reduzindo, assim, os efeitos colaterais.

Os
corticóides podem ser utilizados por via inalada através dos seguintes dispositivos:

- spray (
bombinhas).
- Inalador de pó.
-
nebulização.

</DIV< td>

31 - O corticóides podem ser utilizados em crianças?

 

Sim, os corticóides podem e devem ser usados em crianças. São a medicação de manutenção de escolha no controle da doença. O uso do corticóide inalado é bastante seguro e extremamente eficaz.

Quando utilizados de maneira correta e sob orientação médica, não há motivo para o temor exagerado em relação aos efeitos colaterais. Na verdade, a criança que não faz o tratamento adequado da
asma por medo dos corticóides corre o risco de ter sua vida bastante prejudicada pela doença.

 

32 - Por que a bombinha de corticóide não é útil quando de crises de asma?

 

Os corticóides inalados têm como objetivo reduzir a inflamação dos brônquios, prevenindo a ocorrência dos sintomas da asma. Porém, o inicio desse efeito é demorado (mínimo 14 dias) e é necessário que o seu uso seja prolongado.

Assim, para que haja uma melhora mais rápida da
inflamação brônquica e por conseqüência dos sintomas da crise asmática, se utiliza por um período curto de tempo (5 a 14 dias) os corticóides oral ou venoso.

Nessa situação a dose da cortisona oral ou venosa é bem maior à utilizada por
via inalada, resultando em melhora mais rápida dos sintomas e permitindo que a medicação inalatória tenha tempo para atuar plenamente.

 

33 - O paciente asmático tem que usar a medicação de prevenção ou manutenção por toda a vida?

 

Depende da gravidade da asma. Embora a asma seja uma doença considerada crônica, isso não significa que todos pacientes tenham que usar as medicações por toda a vida.

Na grande maioria dos casos, após o tratamento com as medicações de manutenção por um período variável de tempo (6 meses a 2 anos), consegue-se reduzir a dose do remédio de forma progressiva até a sua suspensão.

Porém, existem asmáticos cuja a doença tem um comportamento mais grave, e nesses casos a medicação pode ser necessária por um tempo muito prolongado.

 

34 - Todo paciente asmático tem que fazer uso de medicação de manutenção?

 

Muitos asmáticos têm uma forma leve da doença, que se caracteriza por sintomas esporádicos e pouco intensos. Nesses casos o médico pode optar por tratar o paciente somente com medicação de resgate (broncodilatadores) quando houver sintomas e protegê-lo dos fatores desencadeantes. É comum também a necessidade de uso de medicação no inverno e sua suspensão no verão.

 35 - Além do corticóide, existe outro remédio que pode ser usado no tratamento de manutenção da asma?
 

Sim, existe um grupo de medicação chamado de inibidores dos leucotrienos que pode ser usado no tratamento de manutenção da asma.

Os antileucotrienos têm um poder antiinflamatório inferior ao dos
corticóides, porém têm a vantagem de poderem ser administrados por via oral e com poucos efeitos colaterais.

Os inbidores dos leucotrienos (nomes comerciais: Singulair, Accolate) estão indicados como alternativa de tratamento nos indivíduos com
asma leve, constituindo-se em boas opções no controle da asma em crianças.

Lembre-se que somente o médico pode decidir qual medicação deve ser usada e em que dose.

 

36 - Quais são as medicações de alívio (resgate) utilizadas na asma?

 

As medicações de resgate utilizadas no tratamento da asma são aquelas com a capacidade de promover o relaxamento dos músculos que envolvem os brônquios e levar à melhora imediata, porém temporária, dos sintomas. São também conhecidos como broncodilatadores.

São os seguintes os grupos de
broncodilatadores utilizados no tratamento da asma:

É sempre importante salientar que as medicações de resgate não tratam a doença, apenas tratam os sintomas.

 

37 - Como os broncodilatadores podem ser utilizados?

 

Os broncodilatadores ou medicações de resgate (alívio) podem ser utilizados por:

-
via oral (xaropes ou comprimidos).
- Via intravenosa ou subcutânea.
-
via inalada (bombinhas, nebulização, inaladores de pó).

A
via inalada é a melhor, pois a medicação é liberada diretamente nas vias respiratórias, com início de ação mais rápido e com menores efeitos colaterais.

 

38 - O que significa uma associação de broncodilatador com corticóide inalado?

 

É comum, durante o tratamento da asma, o paciente estar usando a medicação de manutenção (corticóide inalado) de maneira correta e regular e apesar disso permanecer com sintomas da doença.

Nessa situação o médico pode optar por aumentar o
corticóide ou associar ao corticóide inalado o uso regular (não de acordo com a necessidade) de um beta 2 agonista de ação prolongada (salmeterol ou formoterol) com o objetivo de melhorar os sintomas da doença. Existem estudos científicos que mostram que a segunda opção é mais eficaz na melhora dos sintomas da asma.

Já existem no mercado formulações em que ambas as medicações (
corticóide e beta agonista) estão associados dentro do mesmo dispositivo (bombinha), tornando mais cômoda a administração dos remédios. Veja na tabela abaixo algumas associações presentes no mercado:

 

39 - As bombinhas de broncodilatador viciam?

 

Não, o uso dos broncodilatadores não torna o paciente resistente ou "viciado" na medicação. Se o uso da bombinha é cada vez mais necessário, isso significa que a inflamação dos brônquios está pior, ou seja, a asma não está bem controlada.

É mais uma vez importante lembrar que o
broncodilatador não trata a inflamação brônquica. Nessa situação é preciso consultar o médico, que provavelmente vai ajustar a dose da medicação de manutenção (corticóide).

 

40 - As bombinhas de broncodilatador e o berotec fazem mal ao coração?

 

Não é verdade que as bombinhas de broncodilatador ou o berotec façam mal ao coração. Um dos efeitos colaterais mais comuns é a taquicardia leve ou palpitação, porém este efeito é fugaz e sem conseqüências para indivíduos que não tenham doença cardíaca.

Nos asmáticos que apresentam doença cardíaca a dose do
broncodilatador pode ser reduzida de acordo com a avaliação médica. Mesmo assim é importante usá-lo.

É importante salientar que os pacientes que evitam usar a sua medicação de resgate (alívio) durante uma crise (inalações ou bombinhas de aerolin), devido ao temor dos possíveis efeitos colaterais, apresentam o risco de a crise tornar-se mais grave e até fatal.

 

41 - O que o asmático deve fazer quando da ocorrência de uma crise da doença?

 

A primeira medida frente a uma crise de asma consiste em utilizar a medicação de resgate prescrita pelo médico, para reduzir a dificuldade respiratória, e não interromper a medicação de manutenção.

Em seguida, o paciente deve entrar em contato com o seu médico. O asmático pode tomar a primeira dose do corticoide oral, caso isso tenha sido colocado no plano de controle da doença pelo médico assistente.

Importante reconhecer os sinais que indicam uma crise asmática grave , pois na presença deles o paciente deve ser levado imediatamente para um serviço de urgência médica.

 

42 - A medicina alternativa trata a asma?

 

Não existem evidências científicas de que a acupuntura, homeopatia ou qualquer outra forma de medicina alternativa seja capaz de tratar a asma.

 

43 - O que é controle ambiental?

 

O controle ambiental consiste em eliminar ou reduzir os fatores desencadeantes de sintomas da asma do ambiente de convívio do asmático. Esses fatores incluem, principalmente, os ácaros e os demais constituintes da poeira domiciliar (poeira, mofo, cigarro, cheiros fortes).

 

44 - O tratamento com vacinas contra alergia na asma é benéfico?

 

Não está bem definido qual o verdadeiro benefício do emprego de vacinas contra alergia (imunoterapia) no tratamento da asma.

Há um grupo de pacientes em que o componente alérgico é bastante acentuado. Nesses indivíduos a imunoterapia poderia ser útil, quando se reconhece o agente provocador da alergia.

No entanto, as desvantagens dessa terapia são muitas:

- Somente pode ser utilizada nos indivíduos com
asma leve.
- Não há uma padronização no mercado das vacinas empregadas.
- É aplicada sob a forma de injeções, que são dolorosas.
- Podem desencadear uma crise asmática e até mesmo um choque anafilático.
- Os
corticóides inalados são superiores em eficácia e de fácil utilização.

Desta maneira, não há uma recomendação de rotina no uso das vacinas contra alergia.

 45- O asmático deve ser vacinado contra alguma infecção?
 O asmático deve ser vacinado anualmente contra gripe.

1 - Proteja-se dos fatores desencadeantes de sintomas da asma

a- Poeira domiciliar:

- Mantenha a casa sempre limpa e arejada.

- Evite espanar ou varrer a poeira, prefira usar pano úmido ou aspirador de pó.

- O asmático deve evitar ficar em casa nos dias de limpeza.

- Evite ter em casa e, principalmente, no quarto objetos que prejudiquem a limpeza ou acumulem poeira: carpete, cortinas, tapetes, almofadas, cobertores de lã, bichos de pelúcia.

- Quando não for possível retirar cortinas ou tapetes, procure lavá-los com água bem quente a cada quinze dias.

- Troque a roupa de cama pelo menos três vezes por semana e lave-a com água quente.

- Forre travesseiros e colchões com plástico ou tecidos impermeáveis.

- O uso de ar condicionado pode ajudar a reduzir a poeira doméstica.

b- Poluição, fumaça e cigarro:

- Não fume e evite ambientes em que haja pessoas fumando.

- Evite usar fogão a lenha, lareira e aquecedores à querosene.

- Procure estar sempre informado a respeito da qualidade do ar da cidade em que você mora.

- Se você mora em cidades em que a poluição é um problema, saiba que nos dias mais quentes e no fim da tarde os níveis de poluentes no ar são mais elevados. Assim, evite realizar atividades físicas nesse horário, ou então, realize-as em locais fechados (ginásios e academias).

- Não há evidência científica que recomende o uso de máscaras pelos asmáticos para se protegerem da poluição.

c- Odores fortes:

- O cheiro das tintas empregadas nas pinturas de paredes pode ser prejudicial para o asmático. Assim, afaste-se dos locais em que estejam sendo realizadas pinturas. Da mesma forma, evite locais com colocação recente de sinteco.

- Não utilize perfumes de ambientes.

- Evite contato com inseticidas.

- Cuidado com os produtos de limpeza. Prefira aqueles sem cheiro e, se possível, permita que outra pessoa realize esse serviço.

- Tenha cuidado com os cosméticos (perfumes, talcos cremes, etc) que tenham odores fortes.

d- Animais de estimação:

Os animais domésticos são fontes de alérgenos que podem desencadear sintomas de asma. Esses alérgenos são encontrados na saliva, no pêlo, na pele, na urina dos animais. Veja algumas sugestões para lidar com esse impasse:

- Se possível, evite criar animais com pêlos ou penas.

- Procure manter o animal fora da casa e bem longe do quarto do asmático.

- Se possível (pergunte ao veterinário), lave os cães e gatos uma vez por semana.

- Prefira o uso do aspirador de pó na limpeza da casa, pois ajuda na remoção dos pêlos dos animais.

e- Mofo:

- Mantenha a casa bem arejada e limpa.

- Deixe as janelas da casa abertas nos dias de sol.

- A limpeza das áreas da casa que contenham mofo deve ser feita com água sanitária (é preferível que outra pessoa, que não o asmático, realize essa tarefa), pelo menos uma vez por semana.

- Mantenha as plantas no jardim ou no quintal, nunca no quarto do paciente.

f- Infecções respiratórias (gripes e resfriados):

- Evite contato com pessoas que estejam gripadas ou resfriadas.

- Permanecer em ambientes fechados com aglomeração de pessoas favorece a transmissão de infecções respiratórias, logo, evite essas situações.

- Vacine-se anualmente contra gripe.

g- Mudanças de temperatura:

- Quando sair de casa nos dias mais frios, agasalhe-se adequadamente.

- Antes de se expor à mudança brusca da temperatura, por exemplo entrar em um local com ar condicionado bem mais frio que o ambiente externo, use sua medicação de resgate, principalmente se tal mudança costuma te provocar tosse ou chiado.

2 - Pratique Atividade Física

Exercícios físicos são bons para quaisquer pessoas, inclusive asmáticos. No entanto, é comum os esforços físicos desencadearem sintomas no asmático. Isso significa que a doença não está totalmente controlada.

Procure praticar atividades físicas regularmente, porém, se houver dificuldades discuta com seu médico. A seguir colocamos algumas orientações:

- Quando a doença está bem controlada, qualquer pratica esportiva é bem indicada para os asmáticos. Porém, alguns esportes podem ser problemáticos para o asmático, tais como, montanhismo em grandes altitudes e mergulho.

- Use a sua medicação de manutenção regularmente, conforme a orientação médica.

- Dez a quinze minutos antes de realizar atividades físicas mais intensas , use a sua medicação de resgate (broncodilatador).

- Durante a atividade física pode haver a necessidade de utilizar o broncodilatador, por isso mantenha-o ao seu alcance.

- Realize aquecimento antes de iniciar os exercícios físicos mais intensos.

- Evite realizar exercícios em áreas muito poluídas, principalmente nos dias quentes. Nessas regiões, prefira praticar atividade física em ambientes fechados (ginásios e academias).

Atenção: se você apresenta sintomas da doença quando realiza exercícios físicos procure o seu médico, pois pode ser necessário ajustar o tratamento de manutenção.

  1.